• Home
  • Notícias
  • Nothing Phone (2) vai chegar com um Snapdragon 8 series
Nothing Phone (2) vai chegar com um Snapdragon 8 series
Por Pedro Alves

Nothing Phone (2) vai chegar com um Snapdragon 8 series

A Nothing quer manter o interesse do público centrado em si própria, algo que está a ser complicado por estes dias devido às constantes apresentações de novos smartphones, entre outros produtos, que estão a ter lugar na Mobile World Congress 2023, em Barcelona.

Para o conseguir, o CEO Carl Pei (ex OnePlus) divulgou ao mundo que o próximo smartphone da tecnológica inglesa, o Nothing Phone (2), será equipado com um chip da gama de topo da Qualcomm, ou seja, um Snapdragon 8 series. Com efeito, esta adição resulta num incremento de performance face ao primeiro modelo da marca, o Nothing Phone (1), que utiliza um Snapdragon 778G+.

Nothing phone 1, glyph interface 🖤
Nothing Phone (1)

Contudo, há que ter em consideração que a informação ficou por aqui, ou seja, não foi especificado qual o chip desta série que ira marcar presença no próximo smartphone da empresa. É certo que todos gostaríamos que fosse o mais recente Snapdragon 8 Gen 2, mas existe a possibilidade de ser também o seu antecessor, o 8+ Gen 1, o que pode não ser descabido, dependendo do preço que a Nothing vier a pedir por este aparelho.

O Nothing Phone (2) apenas deverá chegar mais tarde, depois do verão deste ano. A juntar ao processador, de origem já confirmada, os rumores dão conta que as restantes especificações serão: 12 GB de memória RAM, 256 GB de armazenamento interno, display OLED com taxa de atualização de 120 Hz, e bateria de 5000 mAh. A ser verdade, estaremos perante o primeiro smartphone de gama alta da marca, já que o (1) se situa numa gama intermédia.

Apesar de tudo isto, acreditamos que os verdadeiros fãs anseiam, acima de tudo, por ver o que a Nothing vai fazer na traseira deste equipamento: será que vai manter a filosofia diferenciadora com recurso a LEDs debaixo de um vidro transparente, ou desta vez irá optar por um design mais clássico e concensual? A primeira opção parece-nos mais plausível...

Por Pedro Alves profile image Pedro Alves
Publicado a
Notícias