• Home
  • Notícias
  • O teste de durabilidade do Google Pixel Fold não acaba bem...
O teste de durabilidade do Google Pixel Fold não acaba bem...
Por Pedro Alves

O teste de durabilidade do Google Pixel Fold não acaba bem...

O Google Pixel Fold é a primeira tentativa da gigante das pesquisas em enveredar pelo segmento dos smartphones dobráveis. Ora, tendo em conta que leva alguns anos de atraso em relação aos seus concorrentes, era expectável que este equipamento se saísse um pouco melhor no que à durabilidade diz respeito... Spoiler: isso não acontece...

Pelas mãos do canal de YouTube JerryRigEverything chega-nos um dos seus habituais vídeos, nos quais os mais recentes produtos tecnológicos são sujeitos a um tratamento extremo, de forma a percebermos os seus limites. Desta vez a vítima foi o já referido Pixel Fold, e aconselhamos desde já os mais sensíveis a não assistirem ao próximo vídeo até ao fim...

O teste à resistência a riscos do ecrã externo começou mais ou menos bem, mas quando se passou para o interno a coisa piorou: o plástico que cobre o display dobrável fica facilmente marcado, até com a unha do utilizador. A resistência ao calor demonstrou que o display menor ficou com uma mancha irrecuperável, mas quando o youtuber começou a aquecer o ecrã maior o smartphone simplesmente... desligou-se devido ao calor.

Quando foi sujeito à presença de areia, o Pixel Fold resistiu com bravura. Um dos destaques da Google na construção deste smartphone foi precisamente a dobradiça, que a empresa reclama ser a mais resistente de sempre aplicada num dobrável, e na verdade não deverá andar longe disso. Nenhum resíduo entrou neste componente, e dessa forma o equipamento continuou a abrir e a fechar na perfeição.

Mas o pior estava para vir...

Quando foi sujeito a dobragem no sentido oposto ao normal, o smartphone simplesmente cedeu: o display interno partiu imediatamnete, e não foi preciso muito para até a tampa traseira saltar do lugar, deixando exposta uma das baterias.

Porém, o mais engraçado foi perceber qual o ponto de rutura. Naturalmente os leitores devem estar a pensar que foi a dobradiça a primeira a entregar a alma ao criador, dado ser um componente móvel, contudo uma análise mais atenciosa à segunda imagem acima mostra que isso não corresponde à realidade. Na verdade, a dobradiça aguentou firme e intocável, mostrando que a Google tem razão nas suas palavras. Foi nas linhas das antenas presentes na moldura que o Pixel Fold cedeu, e dobrou. Estas pequenas zonas são de plástico, obrigatório para favorecer a receção de sinal, mas criam pontos fracos difíceis de justificar.

Temos de ser honestos: é muito difícil que qualquer equipamento seja sujeito a este tipo de tratamento na vida real. Mas acidentes acontecem, e todos conhecemos relatos que demonstram o inesperado...

Por Pedro Alves profile image Pedro Alves
Publicado a
Notícias Google